O que está acontecendo com a água do Brasil? A NASA sabe...


Até alguns anos atrás o suprimento de água do Brasil parecia inesgotável, e quase ninguém se preocupava com esse importante recurso. Mas a situação mudou repentinamente, e agora a crise hídrica parece mais forte do que nunca, e o pior é que parece que ela veio para ficar...

No Brasil, infelizmente, são poucos os estudos a esse respeito, e além de aumentos na conta de água e racionamentos velados, os governos não parecem estar se esforçando para entender o que realmente está acontecendo. Mas do outro lado do continente os cientistas estão se dedicando a entender esse fenômeno.


 Recentemente a NASA revelou os resultados de um estudo que utilizou dados dos satélites 'Gravity Recovery e Climate Experiment' (GRACE) da agência espacial americana, e conseguiu traçar com bastante precisão a movimentação da água pelo nosso país entre 2002 e 2015.

Os equipamentos medem intensidades de campos magnéticos de água e gelo, e dessa forma conseguem rastrear as massas de água do planeta, inclusive no subterrâneo.

Augusto Getirada, hidrologista do Centro de Voo Espacial Goddard da Nasa, explicou que é fundamental entender a quantidade de água que está faltando, e determinar quando exatamente essa seca começou, para que possamos entender o que está acontecendo.

E segundo ele, isso é fundamental para um país que tem 75% de sua matriz energética dependente de recursos hídricos, já que dependemos basicamente de hidrelétricas.


No vídeo da NASA vemos a movimentação das massas de água pelo país. Os satélites mostram em azul as regiões que tiveram aumento na quantidade de água, e em vermelho onde houve diminuição. As regiões Norte, Centro-oeste, e Sul registraram aumento dos níveis de água.

Já as regiões Nordeste e principalmente Sudeste mostram níveis alarmantemente baixos, registrando perdas de pelo menos 56 trilhões de litros em suas reservas.

Fonte: curtoecurioso

Venha assistir os mistérios, conspirações e muito mais em nosso Canal Ufologia Landroid  Sugestões abaixo.